Tradutor, esse cidadão do mundo

By 7 de setembro de 2018 abril 26th, 2019 Blog, Profissão

Tradutor, esse cidadão do mundo

A tradução sempre foi um ofício cercado por mitos: algo fácil, ou de menor importância, algo que qualquer pessoa estaria automaticamente apta a fazer tão logo tivesse voltado de um intercâmbio. Certo? Think again.

Recentemente a LabPub ofereceu o curso inédito Formação de tradutor de livros, um conteúdo que os tradutores Cassius Medauar, Guilherme Kroll e eu, Monique D’Orazio, exploramos durante 25 horas de aulas ao vivo.

Qual não foi nossa surpresa ao saber que a turma que nos aguardava contava com não menos do que 52 inscritos. Que responsabilidade!

Logo de início, nossa ideia era muito clara: queríamos mostrar aos alunos como era a feita a tradução editorial no dia a dia, sem abordarmos teorias de tradução muito profundas e sem traduzir como acadêmicos. Queríamos mostrar uma série de fatores que afetam e que alimentam o trabalho do tradutor de livros profissional: gente como a gente, que recebe uma encomenda de uma editora e tem que fazer aquele livro acontecer, respeitando a voz do autor, respeitando o leitor e ainda assim, criando uma obra que carrega muito do nosso repertório pessoal, da nossa vivência e da nossa criatividade.

Ao longo de dez aulas, queríamos que os alunos compreendessem que cinco pensamentos norteavam todo o conteúdo selecionado para o curso, qualquer que fosse o gênero de livros discutido:

  1. A tradução e o ato de traduzir: o tradutor não pode trabalhar por mera intuição e muito menos no “piloto automático”; ele precisa entender o que é o ato tradutório e que processos ele envolve;

  2. O papel do tradutor como mediador: o tradutor precisa entregar ao leitor o que o autor pretendia entregar, mesmo que utilize para isso recursos diferentes dos que o autor utilizou (linguísticos, culturais, etc). A mensagem tem que chegar, e o tradutor precisa ler profundamente e estar sempre no controle do sentido;

  3. Gêneros literários e público-alvo: os tipos de livros têm objetivos específicos; mas buscam sempre envolver o leitor – apaixoná-lo, informá-lo, diverti-lo, comovê-lo… E, para isso, cada gênero lança mão de determinados recursos que precisam ser compreendidos por quem traduz. E importantíssimo: para traduzir bem é imprescindível conhecer para quem se traduz;

  4. O processo editorial: o tradutor editorial está inserido na cadeia de produção do livro, então é fundamental que conheça as etapas de trabalho com o texto. Tão relevante quanto é compreender bem as expectativas da editora que contratou o serviço, pois esse briefing moldará as decisões que o tradutor vai tomar durante todo o trabalho;

  5. Produção de texto: traduzir é escrever, e o tradutor precisa compreender não apenas os recursos estilísticos utilizados pelo autor, mas também como empregá-los e adaptá-los quando necessário.

Se conseguimos transmitir ao menos essas ideias, então nosso curso foi um sucesso!

Um pensamento bem interessante que permeia a tradução editorial é a de que tradutores são profissionais criativos, em pé de igualdade e em parceria, com o autor que está sendo traduzido. E não está mesmo longe da verdade. Afinal, a quantidade de situações com as quais o tradutor se depara durante sua atividade e para as quais precisa encontrar soluções inovadoras são as mais variadas. Não é raro precisarmos adaptar um nome de personagem para não perdermos outros níveis de significado ou explicarmos uma referência cultural para o leitor que talvez não a conheça. E quando encontramos aquela solução genial para um problema que parecia tão intraduzível, sem dúvida nos enchemos de orgulho.
Uma ideia que eu gosto de enfatizar sempre é que o tradutor é um cidadão do mundo: tudo que o cerca pode e deve ser utilizado como recurso na hora do trabalho; dos grandes eventos históricos, ao meme da rede social.

E o recado mais importante que eu deixo para os tradutores iniciantes e os não tão iniciantes assim é que, em tradução e em idiomas, a gente nunca sabe tudo e vai continuar aprendendo e aprimorando a técnica pelo resto da vida. A receita é simples: quanto mais prática, melhor. Cada livro é um desafio novo, e traduzir com seriedade nunca é tão simples assim.

Ah, e lembrem-se que o texto nunca está pronto e que é normal sentir aquele friozinho na barriga antes de entregar. A parte boa, é que todo o esforço que colocarmos na tradução certamente será recompensado.


Monique D’Orazio é tradutora de inglês e de espanhol para o português desde 2007 e traduz especificamente livros desde 2013, em gêneros como ficção, não ficção, clássicos, literatura infantil e juvenil para editoras como Verus, Ciranda Cultural, HarperCollins Brasil, Faro Editorial, entre outras. É Bacharel em Relações Internacionais (IRI-USP, 2009), tem MBA em Book Publishing (2016) e cursa pós-graduação em revisão de textos. Tem mais de 140 livros traduzidos, dos quais 80 só infantis, e dezenas de outros revisados e preparados. Na LabPub, ministra os cursos Formação de Tradutor de Livros, Real Job – Revisor de textos e Real Job – Tradutor editorial.

Posts recentes

17 de outubro de 2019 in Blog

Sangue sugado

Sangue sugado Não sei ao certo o que será, Mas eis sonora expectação: O sol decerto surgirá Serei porção da Criação! Será que, sendo, crescerei? Cerrarei cedo num caixão? Será…
Read More
10 de outubro de 2019 in Blog

Distração

Distração Um gato morto! O infeliz foi atropelado enquanto caminhava apressadamente para mais uma orgia no telhado do vizinho. Isadora observou pela janela de seu apartamento o tal incidente. Incidente…
Read More
3 de outubro de 2019 in Blog

O que seremos daqui um tempo?

O que seremos daqui um tempo? Netflix, cinema, carros, motos e todos os tipos de transportes. Será que as modas dos tempos atuais continuarão existindo no futuro? Será que tudo…
Read More

Nossos cursos

29 de setembro de 2019 in Cursos

Direitos autorais e administração de contratos

O curso Direitos autorais e administração de contratos é voltado ao mercado editorial e está estruturado sobre dois pilares principais: disposições legais e práticas editoriais. Sejam editores, preparadores, designers, gestores ou proprietários…
Read More
24 de setembro de 2019 in Cursos

Curso Produção Editorial: Do autor ao leitor

O curso Produção Editorial: do autor ao leitor tem como objetivo formar o produtor editorial, apresentando todas as informações necessárias para entender o processo de confecção do livro e gerir projetos editoriais…
Read More
23 de setembro de 2019 in Cursos

Gestão Financeira de Editoras – Para não financeiros

O curso Gestão Financeira de Editoras – para não financeiros foi desenvolvido para profissionais que desejam conhecer finanças e contabilidade em um nível suficiente para mudar a realidade de suas editoras. Em…
Read More